Comida afro-brasileira

Existem muitos pratos da comida afro-brasileira que se adaptaram e fazem parte da culinária do povo Brasileiro. Desde o momento em que os Portugueses chegaram ao Brasil, diversos costumes se integraram à nossa sociedade.

Infelizmente a escravidão é algo triste na história da criação do Brasil, mas os tempos hoje são outros e devemos comemorar a liberdade! Nesta matéria reconhecemos, respeitamos e valorizamos a cultura negra e toda a sua presença na nossa cultura nos dias de hoje em todas as suas formas.

Pratos mais conhecidos da comida afro-brasileira

Os dois pratos mais conhecidos da cultura afro-brasileira, são:

Feijoada, iguaria mais conhecida da comida afro-brasileira

Feijoada, um dos melhores pratos da  comida afro-brasileira

Dizem que os portugueses tinham como costume fazer este prato cozido. Mas, quando chegou ao Brasil, adaptou-se para se preparar com os ingredientes que já tinham disponíveis por aqui.

Mas no estado do Rio de Janeiro que ela se tornou popular e passou a ser consumida por todos. Hoje em todo o país é muito comum encontrar este prato sendo vendido às quartas-feiras e sábado. Em especial na comida carioca, pois nossos amigos do Rio de Janeiro amam este prato.

Abará

Abará

Esse prato da comida afro-brasileira, semelhante ao acarajé, é feito com massa de feijão fradinho. Mas, existem diversos temperos a se adicionar, e muitas pessoas gostam de colocar camarão inteiro na sua mistura no momento de fazer a massa.

Ele é menos famoso que o primo acarajé. Porém, ele também é um prato típico da culinária baiana. Diferente do acarajé, o abará, não é frito, mas, envolvido em folhas de bananeira e é cozido no banho-maria. Além disso, algumas pessoas gostam de servi-lo com bastante recheio de caruru ou de vatapá.

Mungunzá

Esse tipo de comida tem como base grãos de milho amarelo ou branco cozidos com açúcar e leite. Atualmente ela se modernizou, e novos complementos passaram a fazer parte desse prato afro-brasileiro, como a canela, leite de coco e outros.

Este prato poderá ser feito em duas versões, a doce e a salgada. A salgada poderá ser feita com carne de porco, carne de sol ou carne seca. Nos estados do nordeste ele é famoso como Canjica, quando na versão doce, então este prato sensacional é muito comum na culinária nordestina também.

Vatapá

comida afro-brasileira: Vatapa

Este prato é muito comum no estado da Bahia. Ou seja, basicamente é um creme com pão amanhecido molhado. E também pode ser feito com farinha de mandioca ou trigo.

Além disso, é temperado com coentro, pimenta, cebola, cravo, azeite de dendê e outros ingredientes a gosto. Ele fica bem semelhante com o bobó de camarão, e pode acompanhar frutos do mar ou peixes, por exemplo.

Comida afro-brasileira: Angu ou Polenta

Prato delicioso da comida afro-brasileira

Dificilmente você verá um Brasileiro que nunca comeu Angu. Esta comida típica africana em sua originalidade era feita com inhame, mas no Brasil ela foi modificada. Atualmente a mistura é feita com fubá e água.

Esta comida é extremamente simples de se fazer. Por isso, é muito comum por todo o país. Além disso é barata e sustenta bastante. Pode-se servir com carnes, como miúdos de porco ou boi, mas, já nessa versão ela se chama “Angu Baiano”, por ser mais cremoso.

Mas, existem ainda algumas pessoas que conhecem essa comida afro-brasileira como polenta.

Pamonha

A pamonha, como se conhece nos dias de hoje, é na verdade uma variação do prato Acaçá. Em suma, era um bolinho de milho, enrolado em folhas verdes de bananeira o qual se servia com caruru ou vatapá, principalmente na Bahia.

Atualmente, existem pamonhas feitas na versão doce ou salgada. Em suma, esse prato é feito de milho triturado, que enrolado na palha do milho, é cozido em água fervente, até que pegue um corpo consistente e macio de se comer.

Cuscuz

cuscuz

Este prato da comida afro-brasileira, é feito com farinha de milho ou flocos de milho. Logo, adiciona-se água e sal, e normalmente é comum ter manteiga, queijo, ou ovo. Na grande maioria das vezes, deve-se consumir pela manhã.

Mas, no hábito do brasileiro, é comum de se consumir à tarde com carnes ou à noite com legumes e verduras. Nos tempos modernos foi feita a versão com leite de coco e açúcar.

Cocada

Devido a popularidade e facilidade de encontrar coqueiros nas costas brasileiras, e principalmente em fazendas, se tornou comum ralar coco. A mistura do coco com calda de açúcar deu origem a essa comida afro-brasileira chamada “Cocada”.

Porém, existem várias formas e maneiras de preparar o doce, como por exemplo, cocadas claras ou cocadas escuras. Desde as secas até as mais cremosas, e isso tudo vai depender do tempo que ela ficou no fogo.

Comida afro-brasileira de origem portuguesa: Quindim

Este doce tem origem em Portugal com o nome de Brisa-do-Lis, e era feito com açúcar e gemas de ovos. Este é um clássico principalmente por ser servido com amêndoas. No Brasil ele ganhou o coco ralado por ser mais comum de se encontrar.

Sendo esta modificação que deu origem ao Quindim Brasileiro e aqui se tornou bem popular.

Lanches e aperitivos da comida afro-brasileira 

Que a culinária africana exerce uma forte influência na cozinha do Brasil todo mundo já sabe, principalmente na comida nordestina. Veja então alguns aperitivos da comida afro-brasileira de dar água na boca.

Acarajé

Talvez o acarajé seja a comida afro-brasileira mais famosa e popular que temos no Brasil. Trata-se de um delicioso bolinho feito de feijão fradinho, frito no azeite de dendê e recheado com vatapá, caruru, camarão e molho de pimenta.

O aperitivo começou a ser vendido em tabuleiros nas ruas de Salvador por negras alforriadas, que inclusive, usavam as mesmas roupas dos terreiros de candomblé.

Essa comida de origem africana se tornou o carro chefe da cozinha baiana que tanto atrai turistas.

Acarajé com vatapá, caruru, vinagrete e camarão

O acarajé com vatapá, caruru, vinagrete e camarão é um aperitivo da comida afro-brasileira ideal para ocasiões especiais.

Trata-se de uma versão bastante sofisticada do prato clássico da comida baiana.

Acarajé com vatapá é o ícone da comida afro-brasileira

A receita tradicional do típico prato nordestino originário da culinária afro-brasileira, leva azeite de dendê, feijão fradinho, camarões e muitos outros ingredientes.

Doces típicos da culinária afro-brasileira 

É hora da sobremesa, e os deliciosos doces típicos da culinária afro-brasileira surpreendem a todos.

Melketert

Esse doce típico da culinária afro-brasileira, que significa torta de leite na língua africâner, é uma clássica sobremesa sul-africana.

O doce, consiste em uma torta com crosta de massa doce, preenchida com um creme leve e cremoso à base de leite, farinha, açúcar e ovos.

Deliciosa sobremesa é servida polvilhada com canela em pó. Pode ser servida de dois modos: gelada ou em temperatura ambiente.

Cocada Angolana

A cocada angolana é um delicioso doce à base de coco tradicional em várias regiões do mundo. Especialmente na América Latina e em Angola.

Docinho africano

Esse sensacional docinho de origem africana é bem parecido com o nosso tradicional brigadeiro  brasileiro.

A diferença é que para fazer o docinho africano você vai precisar de pães duros, que serão colocados de molho em leite para fazer a pasta.

Malva Pudding

Como você já sabe a culinária africana é muito conhecida por sua intensidade. O malva pudding, doce típico da culinária afro-brasileira, tem uma textura bem parecida com a de um bolo.

Apesar de ser um prato doce, é ideal que seja servido ainda quente. Os melhores acompanhamentos para este doce são o sorvete ou creme de baunilha.

Bebida típica da culinária afro-brasileira 

Conheça uma das principais bebidas da culinária afro-brasileira usada como oferenda aos orixás.

Aluá

O aluá é uma bebida refrigerante feita à base de milho, de arroz ou de casca de abacaxi fermentados com açúcar ou rapadura.

A bebida é usada tradicionalmente como oferenda aos orixás nas festas populares de origem africana.

Ingredientes da comida afro-brasileira 

Não há nada mais gostoso que a comida brasileira, não é mesmo? A alimentação brasileira tem uma riqueza incrível, pois sua origem é uma mistura das tradições indígenas, europeias e africanas, que deu origem à culinária afro-brasileira.

Os índios por sua vez se alimentavam da mandioca, das frutas, dos peixes e das carnes de caça.

E com a chegada dos colonizadores portugueses ao Brasil, o pão, o queijo, o arroz, os vinhos e os doces se incorporaram à nossa alimentação.

Mas, uma das contribuições mais importantes e enriquecedoras para nossos hábitos alimentares, durante todo período de colonização, foi aquele que veio da África.

Enquanto os comerciantes de escravos traziam os ingredientes, ou seja, as especiarias, os escravos traziam na memória os usos e os gostos de sua terra. Aí estava o segredo.

A culinária afro brasileira iniciou com a chegada dos escravos à colônia. Eles tiveram que recriar seus quitutes com ingredientes locais. Por exemplo, no lugar do inhame, usaram a mandioca; e para substituir o sorgo, usaram o milho.

Os escravos não tinham uma alimentação muito farta,pois comiam os restos que seus senhores lhes destinavam.

Logo, os ingredientes nobres, o preparo requintado e as maneiras européias à mesa, só aconteciam na casa grande.

Enquanto isso, na senzala a cozinha negra se desenvolvia em grandes tachos de ferro. Alguns escravos até conseguiam criar algum animal ou cultivar uma pequena horta.

Talvez, seja por esse motivo que o tempero e o uso de uma grande variedade de pimentas deu um sabor muito especial aos pratos. 

Além disso, o azeite de dendê também foi um dos ingredientes mais importantes da cozinha negra, trazido para a culinária afro brasileira.

O dendezeiro é uma palmeira de origem africana, de onde se extrai o azeite que dá a cor, o sabor e o aroma de tantas receitas deliciosas, como:

  • Vatapá;
  • Caruru;
  • Acarajé.

O uso de pimentas se espalhou pelo Brasil no século XVIII. A tradição de vender comida nas ruas em grandes tabuleiros também se estabeleceu na mesma época, na maravilhosa cidade de Salvador.

Esses tabuleiros traziam de tudo. Entre essas iguarias estava o acarajé, o vatapá, o abará, o angu, o mingau, a pamonha e a canjica.

O acarajé se tornou tão importante que foi transformado em patrimônio nacional, reconhecido e protegido pelo patrimônio histórico, típico da cidade de Salvador, na Bahia, considerada a capital da cozinha afro brasileira.

Enfim, o comércio entre a África e a América, resultou na vinda de novos ingredientes para o continente americano , como: azeite de dendê, quiabo, inhame, leite de coco, pimenta malagueta e noz moscada.

Deixe uma resposta